HMB (LEM)

História da Música no Brasil – 3º LEM
(Licenciatura em Educação Musical)

Programa de Ensino – 2017

quintas-feiras, das 16:15 às 18:15 horas – sala 405

Prof. Paulo Castagna

Índice


Ementa

O curso procura compreender a atividade musical no Brasil relacionada aos principais movimentos sociais, políticos e econômicos da história do país, em conexão com a história da música em outras partes do mundo. Serão abordados alguns casos da formação das culturas populares, os movimentos musicais conhecidos, suas características, repertórios e problemas específicos, procurando relaciona-los à história e ao desenvolvimento de cada fase e compreender suas causas e significados. O curso aborda, de forma panorâmica, a diversidade musical existente no país e sua transmissão histórica, destacando o interesse desse conhecimento para a vida atual.

Voltar ao topo


Objetivos

  1. Conhecer as principais particularidades históricas da prática musical no Brasil;
  2. Compreender a prática musical no Brasil como parte integrante da prática e da história musical do mundo;
  3. Conhecer gêneros e repertórios histórico-musicais brasileiros;
  4. Conhecer os principais problemas que envolvem a produção e prática da música no Brasil atual;
  5. Capacitar o(a) estudante na pesquisa e utilização de repertório histórico-musical brasileiro e/ou informações relacionados à história do Brasil;
  6. Capacitar o(a) estudante a compreender o significado patrimônio musical (especialmente do patrimônio histórico-musical) brasileiro;
  7. Capacitar o(a) estudante a iniciar pesquisas no campo da prática musical no Brasil e do patrimônio histórico-musical brasileiro;
  8. Capacitar o(a) estudante a elaborar programas de ensino no campo da prática e da história musical no Brasil.

Voltar ao topo


Metodologia de ensino

  1. Apreciação e discussão de textos, filmes, áudios, documentários e gravações musicais
  2. Leitura e discussão de apostilas (ver também) e de bibliografia
  3. Exposições do professor
  4. Realização e discussão de textos e pesquisas dos(as) estudantes
  5. Apresentações musicais pelos(as) estudantes
  6. Palestras de professores convidados

Voltar ao topo


Avaliação

A avaliação será realizada por meio de 4 (quatro) notas, sendo uma delas pela apresentação no Grupo Didático (D1) e mais 3 (três) trabalhos (T1, T2, T3), todos descritos e agendados abaixo, no cronograma do curso, e cuja média anual (MA) será obtida pela média aritmética das quatro notas, a partir da seguinte fórmula de cálculo: MA = (D1+T1+T2+T3)/4. Não haverá prova entre as avaliações regulares, apenas as provas substitutiva e especial, e o exame de recuperação, quando necessários.

Voltar ao topo


Atuação didática

A atuação didática será feita pela participação nos Grupos Didáticos, destinados à apreciação e apresentação presencial de tópicos representados na bibliografia e material didático do curso, nas datas especificadas no cronograma desta matéria. O aproveitamento neste item será avaliado com a nota D1, que irá compor uma das quatro notas da Média Anual.

Cada grupo deverá estudar previamente o tópico atribuído ao seu grupo do documentário Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro, bem como os itens correspondentes do livro de mesmo nome. Em sala, o grupo deverá projetar o tópico do documentário e, em seguida, apresentar uma análise desse material e dos itens correspondentes do livro, relacionando-o a aspectos musicais levantados pelo Grupo Didático. A apresentação deverá ser feita em até 30 minutos, para que haja tempo de discussão pela classe. A relação dos tópicos a serem apresentados pelos sete grupos é a seguinte:

  1. Aula expositiva – O Povo Brasileiro: 1 – Matriz Tupi
  2. Grupo Didático 1 – O Povo Brasileiro: 2 – Matriz Luso e 3 – Matriz Afro
  3. Grupo Didático 2 – O Povo Brasileiro: 4 – Encontros e Desencontros
  4. Grupo Didático 3 – O Povo Brasileiro: 5 – Brasil Crioulo e 6 – Brasil Sertanejo
  5. Grupo Didático 4 – O Povo Brasileiro: 7 – Brasil Caipira
  6. Grupo Didático 5 – O Povo Brasileiro: 8 – Brasil Sulino
  7. Grupo Didático 6 – O Povo Brasileiro: 9 – Brasil Caboclo
  8. Grupo Didático 7 – O Povo Brasileiro: 10 – Invenção do Brasil

Voltar ao topo


Trabalho I (escrito)

História pessoal da música

Trata-se de um texto elaborado individualmente e sem limite de páginas, referente às principais linhas históricas que participam ou participaram dos vários aspectos de sua atividade musical (portanto pessoal), sendo estas de dois tipos: as linhas históricas recebidas e as linhas históricas transmitidas, as quais envolvem suas preferências, seu repertório, sua maneira de tocar ou cantar, os instrumentos que você decidiu estudar, os lugares onde você trabalhou, etc.

Escolha apenas 10 dessas linhas (sendo 5 recebidas e 5 transmitidas) e, uma a uma, identifique a maneira como ela chegou até você e a maneira como você a está transmitindo. Divida a apresentação em 10 tópicos, um para cada uma dessas linhas. Inclua na discussão as diferenças entre as linhas recebidas e transmitidas, informando se você está apenas modificando linhas anteriores ou também criando linhas novas. Somente para as linhas recebidas, investigue pelo menos uma das etapas anteriores à sua recepção, ou seja de que maneira essa linha chegou à pessoa, grupo, instituição ou circunstância que a transmitiu a você. Trata-se, portanto, de uma investigação em dois níveis para as linhas recebidas, e de um nível para as linhas transmitidas.

A redação desse trabalho será breve e sucinta, pois o que mais interessa, neste caso, é a tomada de consciência de algumas das etapas de um pequeno conjunto, dentre as inúmeras linhas históricas que foram recebidas e transmitidas por você, e que participaram ou participam das suas atividades musicais.

Usar, para esse trabalho, o modelo disponível na pasta Google Drive desta matéria e mencionar nome da disciplina (História da Música Brasileira para 3º LEM), o título do trabalho (Trabalho I: História pessoal da música) e o nome completo do autor. Organizar o trabalho de acordo com estes itens: 1. Introdução; 2. Cinco linhas históricas recebidas e uma linha histórica recebida no nível externo (neste item nomear e numerar cada linha na forma 2.1, 2.2, 2.3, etc.); 3. Cinco linhas históricas transmitidas (numerar cada linha na forma 3.1, 3.2., 3.3, etc.); 4. Conclusões.

A entrega do Trabalho I será feita em versão impressa (Times New Roman, 12 pts, espaço 1,5) até o dia indicado no cronograma do curso. A não entrega do Trabalho I na data especificada acarreta o desconto de 1,0 (um) ponto em sua nota, por dia útil de atraso, a contar a partir do horário de término da aula. Caso não entregue até o décimo dia útil após a data especificada, o trabalho será considerado não-entregue e sua nota não será reposta por prova substitutiva, aplicável somente a trabalhos presencialmente realizados em sala.

Voltar ao topo


Trabalho II (apresentação em sala)

Preparação e execução de 6 (seis) obras vocais e/ou instrumentais do século XIX e primeira metade do XX

Trata-se de um exercício musicológico e prático com fontes histórico-musicais brasileiras primárias, a ser elaborado em grupo e apresentado em sala, com entrega ao professor das partituras elaboradas e de comentários sobre as obras e sobre o trabalho realizado, ANTES de sua apresentação. Cada grupo deverá selecionar e adaptar para sua formação 6 (seis) obras vocais e/ou instrumentais brasileiras ou diretamente relacionadas ao Brasil, a partir de pesquisa do próprio grupo, com preferência para obras de salão (canções e danças), para música música sacra ou de concerto em pequenas formações. As 6 obras devem ter sido compostas nos seguintes períodos, cabendo ao grupo a responsabilidade da seleção das obras de cada período:

  • Anterior a 1850: 1 (uma) obra
  • Entre 1850 e 1950: 3 (três) obras
  • Após 1950: 1 (uma) obra
  • (período livre): 1 (uma) obra

As peças selecionadas devem possuir expressão nacional e não apenas local, sendo vetada a apresentação de composições de alunos ou professores da UNESP, ou mesmo obras dos próprios integrantes do grupo. As obras podem ser obtidas na Biblioteca do Instituto de Artes, em outros acervos musicais da cidade (ECA/USP, Centro Cultural Vergueiro, etc.) ou em páginas virtuais, tendo as seguintes como exemplos (mas não como as únicas):

Acervo da Música Brasileira
Patrimônio Arquivístico-Musical Mineiro
Acervo Digital Chiquinha Gonzaga
Acervo Vespasiano Gregório dos Santos / Thesaurus Musicæ Brasiliensis
Biblioteca Nacional Digital (material: partituras)
Coleção de modinhas brasileiras (Biblioteca Nacional de Madrid)
Ernesto Nazareth 150 anos
Henrique Alves de Mesquita
Partituras digitais do Instituto Piano Brasileiro
IMSLP – International Music Score Library Project
Modinhas brasileiras registradas por Martius
Musica Brasilis: partituras

O grupo deverá pesquisar e selecionar as seis obras e, caso possua cantores entre seus componentes, alternar peças vocais e instrumentais, ou optar por um desses tipos, conforme sua preferência. Uma vez selecionadas as obras, os integrantes farão um arranjo ou adaptação para a instrumentação disponível em seu grupo, elaborando a partitura que será executada (além de sistematizar a notação e corrigir eventuais erros e imprecisões), para ensaiar a obra, apresenta-la no dia reservado para isso (ver abaixo o cronograma do curso) e entregar uma cópia da partitura ao professor ANTES de sua apresentação.

Acompanhará o trabalho a elaboração de um pequeno texto, no qual serão explicitadas as características históricas e musicais das obras em questão, bem como as particularidades e dificuldades do trabalho realizado. Esse texto deverá ser entregue ao professor ANTES de sua apresentação, constando nele o nome dos integrantes e as obras apresentadas, a partir de modelo disponível na pasta Google Drive desta matéria. Evitar discorrer sobre a biografia ou atuação profissional do compositor, dando preferência às particularidades musicais das obras e do trabalho realizado (incluindo as opções tomadas e as dificuldades encontradas).

Voltar ao topo


Trabalho III (apresentação em sala)

Situação atual da música no mercado brasileiro

Este trabalho será elaborado em grupo e destinado a investigar a situação atual da prática e produção musical em vários setores do mercado brasileiro. Os trabalhos serão apresentados em classe (dois grupos por aula) em data já definida (ver cronograma, abaixo) e com exposição em torno de 30 minutos, reservando-se o tempo restante para a discussão do assunto apresentado. Cada um dos grupos deverá escolher um dentre os temas abaixo especificados, sendo sempre possível desdobrar algum desses temas, adotar apenas alguns de seus aspectos e mesmo propor um tema novo:

  1. Música em concertos públicos brasileiros da atualidade
  2. Música no atual mercado brasileiro de de gravações (cds, dvds, streaming e outros)
  3. Música no cinema e em miniséries de TV no Brasil da atualidade
  4. Música no rádio (AM e FM) brasileiro da atualidade
  5. Música em templos e ambientes religiosos brasileiros da atualidade
  6. Música na publicidade (rádio e TV) brasileira da atualidade
  7. Música em novelas brasileiras da atualidade
  8. Música em campanhas políticas brasileiras da atualidade
  9. Música em shows e programas de auditório na TV brasileira da atualidade
  10. Música ao vivo em bares e casas de dança brasileiras da atualidade
  11. Música nas universidades brasileiras da atualidade (ensino, pesquisa e divulgação)
  12. Música no ensino básico no Brasil da atualidade
  13. Música de rua no Brasil da atualidade
  14. Música de Carnaval
  15. Novo tema, definido pelo grupo

O tema selecionado pelo grupo deverá ser entregue ao professor em formulário impresso e assinado por todos os integrantes, no dia especificado no cronograma do curso (abaixo). Para essa informação deverá ser usado o formulário disponível na pasta Google Drive desta matéria. A não entrega do formulário para informação do tema do Trabalho III na data abaixo especificada acarreta o desconto de 1,0 (um) ponto em sua nota, por dia útil de atraso, a contar a partir do horário de término da aula.

Este trabalho envolve uma metodologia principalmente empírica, ou seja, os(as) componentes do grupo deverão examinar a música que circula nos meios acima indicados e registrar as observações pertinentes, para depois formular uma compreensão geral da situação da música referente ao tema escolhido. É fundamental, no entanto, relacionar as observações aos problemas e fenômenos da atualidade e, apenas quando possível, interessante e conveniente, à história do Brasil e da atividade musical, no Brasil e no mundo. O aspecto mais importante deste trabalho, no entanto, é compreender os fatores que participaram ou participam da atual situação da atividade musical selecionada para o trabalho.

Para a apresentação dos trabalhos em sala é possível utilizar arquivos eletrônicos, com textos e exemplos em áudio e em vídeo. Apresentações ao vivo também são possíveis, desde que sejam realizadas dentro do tempo máximo. Durante a apresentação em sala, solicita-se uma forma criativa e motivadora, sendo vetada a divisão do trabalho em partes iguais entre seus componentes (na qual um componente do grupo apresenta uma parte do trabalho enquanto os demais ficam ao seu lado, esperando sua vez de falar). Uma das possibilidades é deixar a apresentação do trabalho para apenas um dos componentes do grupo, enquanto os demais atuam no apoio técnico e execução musical, se for o caso, mas fica a critério de cada grupo elaborar uma maneira criativa de apresentação, com todos os recursos eletrônicos e presenciais que desejarem, sem repetir o padrão desgastado de apresentação de cada parte do trabalho por cada um dos componentes.

Solicita-se a entrega ao professor, no dia de sua apresentação, de um resumo impresso do trabalho, iniciado com o nome da disciplina (História da Música Brasileira para 3º LEM), o número e nome do tema escolhido e o nome completo dos integrantes do grupo. Uma ou duas páginas são suficientes para isso e serão importantes para o controle das apresentações e sua avaliação pelo professor. Pede-se utilizar o modelo disponível na pasta Google Drive desta matéria.

Voltar ao topo


Grupos Didáticos, Musicais e de Pesquisa

Como proposta inicial, foi elaborada uma distribuição idêntica de Grupos Didáticos, Musicais e de Pesquisa, disponível na pasta Google Drive desta matéria. Caso necessária, em função da instrumentação disponível ou das conveniências pessoais de cada um, é possível proceder a mudança de integrantes de um grupo para outro, desde que em acordo com a maioria dos componentes do grupo de saída e do grupo de entrada. Nesse caso, o grupo deverá entregar por escrito, ao professor, até 2 (duas) semanas antes da apresentação do trabalho, uma solicitação impressa e assinada pelos componentes do grupo de saída e do grupo de entrada, utilizando-se o modelo disponível na pasta Google Drive desta matéria.

Voltar ao topo


Prova substitutiva

O(A) aluno(a) que não participar de algum dos trabalhos presenciais (Grupo Didático, Trabalho II ou Trabalho III), por qualquer motivo, ou que desejar substituir uma nota já obtida, poderá realizar prova substitutiva de uma única nota apenas, no dia reservado para isso (ver abaixo o cronograma do curso), sobre textos, aulas, matéria, trabalhos e atividades de todo o ano letivo. A nota de trabalhos a serem entregues em formato impresso, em data previamente agendada (no caso o Trabalho I – História pessoal da música) não poderá ser reposta pela prova substitutiva, aplicável, portanto, somente a trabalhos apresentados presencialmente em sala. Caso o(a) aluno(a) tenha deixado de realizar duas ou mais avaliações durante o ano letivo, somente mais uma das notas será reposta por uma prova repositiva (ver abaixo), sendo atribuída a nota zero ao terceiro trabalho não apresentado. Uma vez realizada a prova substitutiva, sua nota será lançada no lugar da D1, T2 ou T3 não obtida (somente uma delas), conforme o caso, aplicando-se a fórmula para cálculo da nota final do SGA (Sistema de Graduação da UNESP) acima descrita.

Voltar ao topo


Prova repositiva

Destinada somente a quem não participou de dois ou mais trabalhos presenciais (Grupo Didático, Trabalho II ou Trabalho III), e que já tenha substituído uma das notas pela prova substitutiva. A prova repositiva visa repor mais uma das notas não obtidas em trabalhos presenciais e recairá igualmente sobre textos, aulas, matéria, trabalhos e atividades de todo o ano letivo. Caso o(a) aluno(a) tenha deixado de realizar as três avaliações presenciais durante o ano letivo, somente duas delas poderão ser obtidas pela prova substitutiva e pela prova repositiva, sendo atribuída a nota zero ao terceiro trabalho não apresentado. Diferentemente da prova substitutiva, a prova repositiva não substitui notas já obtidas, destinando-se apenas à reposição de uma segunda nota não obtida nos casos acima descritos.

Voltar ao topo


Exame de Recuperação

O(A) aluno(a) que obtiver Média Anual (MA) inferior a 5,0 terá, ainda, o direito de realizar Exame de Recuperação (E1) no dia reservado para isso (ver abaixo o cronograma do curso), sobre textos, aulas, matéria, trabalhos e atividades de todo o ano letivo. A Média Final de Recuperação (MFR) será calculada, de acordo com o sistema adotado no SGA (Sistema de Graduação da UNESP), pela média aritmética entre a Média Anual (MA) e o Exame de Recuperação (E1), sendo aprovado(a) o(a) aluno(a) que obtiver a Média Final de Recuperação igual ou superior a 5,0 a partir da seguinte fórmula de cálculo: MFR = (MA+E1)/2. Para transparência da emissão das notas, segue-se a “Fórmula para Cálculo da Nota Final” utilizada no SGA: =MÉDIA(MÉDIA(D1;T1;T2;T3);E1)

Voltar ao topo


Material didático

Apostilas

Sendo ainda escassos os livros didáticos referentes à história da música no Brasil, especialmente para os períodos anteriores ao século XX, foram preparadas 15 apostilas para subsidiar o estudo da fase 1500-1950, disponibilizadas em download (ver também) e indicadas nas aulas correspondentes no cronograma (abaixo) deste curso. Também serão usados vídeos e áudios online, igualmente indicados nas aulas correspondentes no cronograma abaixo.

Vídeos e áudios

Alma Latina (Cultura FM, 2012)

História da Música Brasileira (Telebras, 1999)

Datas de entrega ou apresentação de Trabalhos

Atividade Data Prevista
Apresentação dos Grupos Didáticos 16 de março a 18 de maio
Entrega do Trabalho I (História Pessoal da Música) 04 de maio
Entrega dos temas do Trabalho III 25 de maio
Apresentação do Trabalho II (Grupos Musicais) 03 a 17 de agosto
Apresentação do Trabalho III (Grupos de Pesquisa) 24 de agosto a 28 de setembro
Prova Substitutiva 09 de novembro
Prova Repositiva 16 de novembro
Exame de Recuperação 23 de novembro

Voltar ao topo


Bibliografia auxiliar

ANDRADE, Ayres de. Francisco Manuel da Silva e seu tempo: 1808-1865: uma fase do passado musical do Rio de Janeiro à luz de novos documentos. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro Ltda., 1967. 2v.

APPLEBY, David P. The music of Brazil.Austin: University of Texas Press, 1983. 209p.

ARAÚJO, Mozart de. A modinha e o lundú no século XVIII: uma pesquisa histórica e bibliográfica. São Paulo: Ricordi, 1963. 159p.

AZEVEDO, Luís-Heitor Correia de. Música e músicos do Brasil: história, crítica, comentários. Rio de Janeiro: Casa do Estudante do Brasil, 1950. 412p.

KIEFER, Bruno. História da música brasileira; dos primórdios ao início do século XX. 3 ed. Porto Alegre: Ed. Movimento, 1982. 140p.

LANGE, Francisco Curt. A música barroca. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. História geral da civilização brasileira. 6 ed. São Paulo: Difel, 1985. Tomo I, 2º volume [v.2], cap. III, p.121-160.

__________. A música erudita na Regência e no Império. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de. História geral da civilização brasileira. 6 ed. São Paulo: Difel, 1985. Tomo II, 3º volume [v.5], cap. IV, p.369-408.

MARIZ, Vasco. Figuras da música brasileira contemporânea. 2 ed. Brasília: Universidade de Brasília, 1970. 209p.

__________. História da música no Brasil.Rio de Janeiro: Civilização Brasi­leira; Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1981. 331p. (Coleção Retratos do Brasil, v.150)

MÚSICA brasileira para orquestra: catálogo geral; organizado por João Guilherme Ripper. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Música/FUNARTE, Projeto Orquestra, 1988. 131p.

NEVES, José Maria. Música contemporânea brasileira. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2008. 396p.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 2 ed., São Paulo: Companhia das Letras, 1995. 476p.

TINHORÃO, José Ramos. História social da música popular brasileira.São Paulo: Editora 34, 1999. 368p.

__________. Música popular – do gramofone ao rádio e tv. São Paulo: Editora Ática, 1981. 215p. (Ensaios, v.69)

__________. Pequena história da música popular: da modinha à lambada. 5 ed. São Paulo: Art Editora, 1986. 270p.

VASCONCELOS, Ary. Panorama da música popular brasileira na Belle Époque”. Rio de Janeiro: Livraria Sant’Anna, 1977. 454p.

WISNIK, José Miguel. O coro dos contrários: a música em torno da semana de 22. São Paulo, Duas Cidades, Secretaria da Cultura, Ciência e Tecnologia, 1977. 188p.

Voltar ao topo


Conteúdo programático e cronograma preliminar

Fevereiro

23 – Recepção dos ingressantes

Março

02 – Introdução ao curso

09 – Apresentação do curso

16 – Aula expositiva: Matriz Tupi

23 – Afastamento do professor (Ciclo de Palestras na UFPE)

30 – Grupo Didático 1: Matriz Luso e Matriz Afro

Abril

06 – Grupo Didático 2: Encontros e Desencontros

13 – Grupo Didático 3: Brasil Crioulo e Brasil Sertanejo

20 – Grupo Didático 4: Brasil Caipira

27 – Afastamento do professor (Curso de Pós-Graduação)

Maio

04 – Grupo Didático 5: Brasil Sulino; entrega do Trabalho I

11 – Grupo Didático 6: Brasil Caboclo

18 – Grupo Didático 7: Invenção do Brasil

25 – Avaliação dos resultados do Trabalho I; data de entrega dos temas do Trabalho III (por escrito – ver template no Google Drive)

Junho

01 – Atendimento aos Grupos 1 e 2

08 – Atendimento aos Grupos 3 e 4

15 – Feriado (Corpus Christi)

22 – Atendimento aos Grupos 5 e 6

29 – Atendimento ao Grupo 7

Agosto

03 – Apresentação do Trabalho II (Grupos Musicais 1, 2 e 3)

10 – Apresentação do Trabalho II (Grupos Musicais 4 e 5): preparação e execução de partitura vocal ou instrumental

17 – Apresentação do Trabalho II (Grupos Musicais 6 e 7): preparação e execução de partitura vocal ou instrumental

24 – Apresentação do Trabalho III (Grupos de Pesquisa 1 e 2): temas escolhidos pelos grupos

31 – Afastamento do professor (XXVII Congresso da ANPPOM)

Setembro

07 – Feriado (Independência)

14 – Apresentação do Trabalho III (Grupos de Pesquisa 3 e 4): temas escolhidos pelos grupos

21 – Apresentação do Trabalho III (Grupos de Pesquisa 5 e 6): temas escolhidos pelos grupos

28 – Apresentação do Trabalho III (Grupo de Pesquisa 7): temas escolhidos pelos grupos

Outubro

05 – I Seminário de Música Brasileira

12 – Feriado (Aparecida)

19 – I Seminário de Música Brasileira

26 – I Seminário de Música Brasileira

Novembro

02 – Feriado (Finados)

09 – Prova substitutiva (substitui apenas uma das notas do Grupo Didático ou dos Trabalhos II e III)

16 – Prova repositiva (substitui segunda nota não obtida no Grupo Didático ou nos Trabalhos II e III)

23 – Exame de Recuperação para quem obteve média anual inferior a 5,0 (conforme o SGA, a média final será a média aritmética entre a média anual e a nota obtida no Exame de Recuperação)

30 – Reservado para atendimento

Voltar ao topo

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s